8 de dez de 2010

Tipos de carnes

Quem nunca ficou em duvida, sobre que tipo de carne é melhor para ensopar, para assar, ou para fazer como bife? sempre recorremos as nossas mães, ou as amigas para nos ajudar a escolher a melhor carne.
Para você virar uma expert segue alguns cortes do boi e dicas.
(esta dividido em numeros e letras)


1 - Aba de filé - Peça de pouca utilização, pois é bastante rija e cheia de nervos. Normalmente, os açougues colocam-na à venda já moída.

2 - Capa de filé - De textura desigual, coberta por uma espessa camada de gordura e de carne identificada por uma grossa cartilagem que divide a peça. É indicada para pratos com molho, de cozimento mais longo, para ensopados e picadinhos.

3 - Ponta de agulha - É a carne que reveste as costelas do boi. Esses músculos são constantemente exigidos no trabalho de respiração do animal. Por isso são bastantes duros e dotados de fibras grossas e compridas. Seu uso ideal é em ensopados, cozidos e sopas.

4 - Fraldinha - Corte pequeno, próximo do traseiro; por ser menos requisitado em termos de trabalho muscular, sua carne não é tão rija. As fibras são uniformes, o que facilita o corte em preparações como bifes de panela, ensopados e cozidos.

5 - Cupim - Tem sabor característico e paladar agradável. Deve sempre ser cozido lentamente. Muito utilizado em churrascos ou na grelha, pode ser assado enrolada em várias camadas de celofane especial para culinária que distribui o calor uniformemente e promove o cozimento da carne em seu próprio suco. Outra forma de preparo é o cozimento em panela de pressão, bem temperado ou apenas com sal refinado, e posteriormente assado no forno enrolada em papel celofane..

6 - Rabo - Parte adequada para cozimento lento, como ensopados ou carnes de panela. Pode ser preparada em pedaços - separando-se as vértebras individualmente - ou numa só peça. Quando preparada com osso, o molho se torna mais saboroso e encorpado.

7 - Acém - É o maior pedaço dianteiro. A carne é macia, bem marmorizada - o que possibilita cozimento longo sem ressecamento - e presta-se a muitas variações, como ensopados, picadinhos, cozidos, bifes de panela e carnes de panela recheadas e com molho.

8 - Braço - Também chamado de “pá”ou “paleta”. Embora mais musculosa que o acém, tem gordura e nervos suficientes para assegurar-lhe o sabor. Divide-se em três partes: o miolo do braço, a parte central e o peixinho. O braço permite a preparação de grande número de pratos.

9 - Peito - Por sua espessura, largura e formato, é a melhor peça do dianteiro para fazer carne recheada enrolada. Além disso, a gordura superficial evita o seu ressecamento durante o tempo de cozimento. É facilmente identificável pelo seu formato especial.

10 - Pescoço - Continuação do peito, tem duas vantagens: o preço - é um dos cortes mais baratos do dianteiro - e as fibras bem irrigadas de gordura. Presta-se a preparações que exijam bons molhos, e dá ótimos resultados em ensopados, cozidos, picadinhos e carnes de panela.

11 - Músculo - Peça de musculatura desenvolvida, saborosa e ideal no preparo de molhos, ensopados, carnes de panela e sopas. Ossobuco É o músculo com o osso - no interior do qual se encontra o tutano, cortado em fatias de 3 cm.

A - Coxão duro ou Chã de fora - Tem a forma de um trapézio com gordura em sua volta, sendo ideal para cozidos, assados e sopas. É a favorita na preparação de papinhas infantis.

B - Patinho - Tem a forma mais redonda que o coxão mole, ideal para assados, bife à milanesa e carne de panela.

C - Picanha - Considerada no brasil como carne de primeira, é usada em churrascos, grelhados e assados.
Na Europa, a picanha ainda é mais usada como carne de panela, utilizada em cozidos e assados.
Suas principais características são o formato triangular, com uma camada de gordura, que é responsável pelo seu sabor, suculência e maciez.
A gordura da picanha só pode ser retirada após ter sido assada, caso contrário as fibras de sua carne ficarão enrijecidas e sem gosto. Uma peça de picanha deve pesar no máximo 1,5 kg.

D - Alcatra - é macia e tem pouca gordura, ela pode ser utilizada na preparação de bifes, refogados, assados e ensopados. Fica excelente no churrasco, tanto no espeto ou em bifes grossos na grelha. Evite cortes finos, pois a carne poderá ressecar..

E - Maminha - É a parte mais macia da alcatra, é suculenta e tem sabor suave, sendo boa para assados, churrasco ou na grelha, carnes de panela ou bifes servidos bem passados, pois tem maior teor de gordura. Deve ser cortada de forma correta, ou seja, contra as fibras, para acentuar sua maciez e sabor.

F - Coxão mole ou Chã de dentro - Antes era considerada uma carne nobre, muito consumida no formato de bifes. Foram descobertos cortes diferenciados que fizeram do coxão mole uma carne mais apropriada para o churrasco. É arredondado e muito macio
A princípio, perdeu para a picanha e para a alcatra, mas hoje existem cortes que transformaram o coxão mole em bifões suculentíssimos, que lembram muito os desenhos dos Flinstones.
Ótimos quando grelhados. Neste caso, pode ser também bem condimentada antes de ser colocada na grelha.
Usado em refogados, sopas, bifes rolê, bifes à milanesa, bolos de carne, carne moída, etc.

G - Contrafilé - O contra filé é um dos melhores cortes para bifes e grelhados. Sua carne macia rodeada de fissuras e entranhas de gordura deixam-na muito rica em sabor e textura.
Seu grande segredo é não deixar passar do tempo ideal para não endurecer, com exceção à carnes maturadas, que são muito mais macias.
Localizada exatamente do lado contrário do filé mignon, dividido pelas vértebras do animal.
Ótimo para bife. Deve-se procurar, neste caso, uma peça com uma manta de gordura uniforme para mantê-la macia e saborosa.
Faz sem sombra de dúvida um excelente rosbife

I - Filé mignon - É o corte mais macio de carne bovina. Um filet mignon inteiro tem aproximadamente 2 kg. Tem sabor adocicado e menos acentuado que a alcatra e o contrafilé, é suculento e tem pouca gordura. É ideal para bifes, como tournedor, medalhão, escalope, estrogonofe e também para rosbifes, assados, refogados e picadinhos. Fica bem acompanhado de vários tipos de molhos. Para churrasco, pode entrar como um ingrediente do espetinho misto ou xixo, ou preparado em bifes grossos na grelha ou inteiro no espeto.

J - Filé de costela - Corte de segunda. Boa para fazer ensopados e refogados.

6 de dez de 2010

Ervas - saiba como usa-las melhor.

As Ervas dão um aroma e/ou sabor especiais aos pratos, mas são tantas que as vezes não sabemos como usa-las e onde usa-las, segue algumas dicas com que tipo de prato combinam.

1. Manjericão - Erva fina de odor marcante, o manjericão combina muito bem com tomate, berinjela, abobrinha, frango e vitela. Como o calor diminui seu aroma, fica melhor se adicionado no final da receita.

2. Louro - A folha de Louro é um dos componentes do "Bouquet Garni". O Louro combina com sopas, peixe em geral, carnes, frango e terrines.
Geralmente uma folha basta para aromatizar o prato.

3. Cebolinha -
Cortada em pequenas rodelas a cebolinha realça as saladas, os ovos e as omeletes, o queijo branco e os molhos. A cebolinha ajuda também na decoração de pratos.
A cebolinha faz parte das ervas finas junto com salsa e estragão

4. Coentro -
O coentro é uma das ervas mais usadas no nordeste brasileiro. Possui um perfume incomparável, refrescante e de sabor marcante. Combina muito bem com o peixe, frutos do mar, frango e legumes. Suas sementes são usadas para temperar marinadas.

5. Tomilho -
Muito apreciado nas cozinhas européias, o tomilho é um elemento importante do "Bouquet Garni". Seu perfume lembra a "Provence", região da França onde é muito encontrado. Combina muito bem com sopas, molhos de tomate, legumes em geral, carnes vermelhas e terrine.

6. Dill - Com o sabor voltado para o anis, ele combina muito bem com peixes em geral, omeletes, batatas, saladas verdes e creme de leite fresco. Suas sementes são usadas para temperar vinagres, marinadas e pepinos em conserva.

7. Erva Doce - As folhas da Erva Doce combinam muito bem com peixes grelhados ou cozidos em papelote. Este tempero fica delicioso servido com grande variedade de carnes como frango, vitela e outras. O seu aroma doce, como o anis, tempera muito bem saladas, molhos e o creme fresco.

8. Alho - O alho é utilizado em todo o mundo. Seu sabor combina muito com carne, peixes e legumes. O alho tem uma utilização muito ampla na culinária nacional.

9. Azedinha - Um tempero muito usado na Europa durante a primavera, pode ser consumida cozida ou crua. Seu sabor ácido da um toque todo especial nas saladas.

10. Raiz-Forte - A raiz-forte é sem dúvida uma erva picante, seu nome já o diz. Utilizada principalmente para realçar maioneses e molhos que acompanham carnes frias. Também é muito usada na culinária japonesa.

11. Manjerona -
Considerada indispensável na cozinha mediterrânea, a manjerona combina com carnes, tomates, batata e arroz. Muito parecida com o orégano, a manjerona tem um aroma mais fino do que o seu concorrente, associando-se mais facilmente a outras ervas.

12. Menta - A menta é muito usada na Europa para temperar o cordeiro, ervilha e batatas. Em outras regiões ela é usada em saladas, em sorbet, em chás ou simplesmente misturado com queijo de cabra e pepino, como fazem na Grécia.

13. Orégano -
Indispensável no preparo de pizzas, o orégano é o companheiro perfeito do tomate, do pimentão, da berinjela, da abobrinha e das massas. Também combina muito bem com carnes brancas, como a vitela e o peito de frango.

14. Salsa - Conhecida como salsinha, a salsa além de ser decorativa acrescenta cor e sabor aos omeletes, saladas, molhos, purês de batatas, patês e sopas. São encontradas duas variedades da salsa. A salsa crespa, mais decorativa e em forma de buquê, e, a mais comum, a lisa, que é mais aromática e suporta melhor o cozimento.

15. Alecrim -
É certamente uma das ervas mais perfumadas, seu aroma se associa muito bem com o cordeiro, o porco, o frango, a vitela e o fígado. Quando usado fresco, pode servir de decoração.

16. Sálvia - A Sálvia serve para perfumar as carnes, principalmente a carne de porco, o coelho e a vitela. Seu sabor, ligeiramente amargo, combina com legumes secos, queijos e lingüiças. Vai muito bem com carnes grelhadas e com molhos.

17. Estragão - Usado no preparo de molhos, pratos com ovos, frango, saladas e sopas. O estragão tem um gosto picante que ajuda a realçar alimentos sem sabor. Muito usado no preparo de vinagres de vinhos brancos.

:) Dany

3 de dez de 2010

Arroz com Abacaxi e Tonku / Arroz con Piña y Tonku


Mais uma receita da Cozinha Tailandesa que achei extremamente saborosa, aprendida no curso de Culinária Internacional da Telesup/Peru, preparei ontem a noite e quero dividir com vocês.

Ingredientes:
1kg de arroz cozido e frio / 1 kilo Arroz cocido y frio
Cebola e alhos em Brunoise (cubinhos pequenininhos)/ cebolla y ajos en brunoise
1 pimentão em Brunoise / 1 pimiento en brunoise
150gr de manteiga / 150gr mantequilla
80gr de Tonku hidratado em brunoise (tipo de cogumelo dessecado)
80gr de jolantao em brunoise
2 pimentas picadinhas em brunoise / 2 ajis limo en brunoise
100gr de amendoim torrado em pedaços / maní tostado y molido
1/2 abacaxi cozido ou em conserva picadinho / Piña cocida o en conserva cortada
1 cabeça de cebolinha em brunoise / cabeza de cebolla china en brunoise
Molho Shoyo - quanto for necessário / Sillao cantidad necesaria
Sumo de Gengibre / Jugo de Kíon
2 colheres de molho de Ostión / 2 cucharas de salsa de Ostión
Sal, pimenta
Azeite de gergilin / aceite de Ajonjoli
100 gr de carne de porco assada cortada em brunoise / carne de chancho asada
100 gr de camarões em brunoise / lagostinos en brunoise

Eu preparei a metade da receita - usando os ingredientes pela metade, e não coloquei o sumo de gengibre pois não me cai bem.

Preparação:
Depois que picar todos os ingredientes em brunoise (bem pequenininhos) fritar na manteiga começando pela cebola e alho, e agregar os outros insumos, frita-los por alguns minutos, colocar um pouco de shoyo e 2 colheres de molho Ostion. Logo em seguida em uma panela com o arroz soltinho, agregar os insumos e misturar bem, por ultimo acrescentar o amendoim e o abacaxi, finalizando com um pouco de azeite de Gergilim.

Preparación:
Hacemos aderezo empezando con el echalote (cebolla y ajos) en mantequilla, y agregamos todos los insumos con o sillao y la salsa Ostión. Luego vamos friendo el arroz de a pocos y se le agrega lo salteado, para terminar echando el maní y la oiña y le agregamos aceite de ajonjoli.

Tonku:


Jolantao:


Ingredientes picados: Insumos:


Fritar tudo na manteiga: Freír todo en mantequilla:



Molho Ostión/Azeite de Gergilim/Shoyo: Salsa Ostión/Aceite Ajonjoli/Sillao:

Sirva quente em um prato, decorando ao seu gosto.
Desenvolvido por - AB-Designs